revista V!RUS

Segunda chamada de trabalhos para o sétimo número da revista V!RUS, do Nomads.usp - Núcleo de Estudos de Habitares Interativos, da Universidade de São Paulo USP, sobre o tema "Ações culturais e meios digitais".
O prazo para envio de artigos e projetos é 19 de março de 2012. Serão aceitas contribuições em português, inglês e espanhol.
Mais informações sobre o tema podem ser lidas em: http://www.nomads.usp.br/virus/virus06/?sec=11&item=1&lang=pt
Conheça o número seis da v!rus, sobre "Criação em processos+s", clicando no endereço:
http://www.nomads.usp.br/virus/virus06

revista V!RUS | V!RUS journal

http://www.nomads.usp.br/virus/virus06

A edição número 07 da revista V!RUS pretende discutir ações culturais e práticas relacionadas ao universo da cultura estruturadas a partir do uso de meios digitais.
De modo complementar, considerando-se ação como ato ou efeito de agir, uma disposição para agir, uma capacidade ou possibilidade de executar alguma coisa ou atividade, ou ainda, em uma das perspectivas da Ciência Física, o termo pode ser entendido como mudança de estado que um campo pode provocar nas partículas que se encontram dentro de seu alcance. A edição 07 da revista V!RUS pretente abordar ações culturais que tenham como horizonte a transformação.
Se, por um lado, essa transformação é entendida de forma horizontal, envolvendo diferentes atores, por outro, pode também ser entendida a partir do próprio fazer, que pressupõe aqui a inclusão das diferentes possibilidades decorrentes do uso das tecnologias de informação e comunicação.
Interessa-nos debater ações de cunho cultural a partir de formulações, desenvolvimentos, implementações ou análises, entretanto, priorizamos ações que buscam fomentar processos que favoreçam a constituição de sujeitos reflexivos e produtores de conteúdo, em amplo sentido, em oposição àquelas que se voltam a questões de complementação de ensino formal, ou ainda à formação de público com característica de consumidores passivos.
Em oposição a trabalhos que abordem exclusivamente práticas de ensino-aprendizagem, que tenham como foco, por exemplo, a realização de workshops com um fim em si mesmos, interessam-nos relatos, reflexões e produtos que envolvam processos que propiciem reverberações, que sejam abertos o suficiente para que possam emegir conteúdos não derterminados à priori. Procuramos entender práticas sujeitas à imprevisibilidade, que possam sugerir inputs a outros processos.
No contexto do fomento de práticas dessa natureza, buscamos aprofundar a reflexão do papel do uso qualificado de meios digitais, e isso inclui tanto etapas de idealização, planejamento, como fases de implementação e desdobramentos.
São bem-vindos trabalhos que se voltam ao papel dos diferentes atores envolvidos em ações com esse caráter, sejam agentes ou produtores culturais, alocados em instituições públicas ou privadas, acadêmicas ou comunitárias, em organizações do terceiro setor, coletivos de arte, de cultura digital, dentre outros grupos de realizadores.
Considerando o olhar que vem de diferentes áreas do conhecimento e atores, buscamos expandir a interlocução em torno desse tema, presente nas discussões teóricas mais amplas das ciências sociais, das artes, da educação, da filosofia, das políticas públicas, dos estudos sobre sustentabilidade sócio-ambiental, entre outras, e em pesquisas transdisciplinares aplicadas. Tal tema está também na agenda - e nas práticas - de coletivos ligados a expressões artísticas diversas e à cultura digital, de artistas ligados à artemídia, dos grupos ligados aos movimentos de Mídia Livre, dentre outros.

Compartir